27 de mai de 2012

 Ela acordou como de costume às 7 horas, tentaria dormir mais uns 10 ou 15 minutos a mais, mas o dever chama.
 Com seus passos falsos caminha em cima de tetos compostos por vidro. Equilibra-se cuidadosamente sobre uma corda. Sentir-se livre, solta eram uma das coisas que ela entendia perfeitamente.
 Mas o desespero, a preocupação que sempre carregará junto de si agora martelava drasticamente em tua cabeça, provocando grandes rachaduras e dores. A fé que ela tem , possivelmente outro a tenha.
 Levanta a cabeça, segue em frente. Marés de pensamentos a engolem. Ela escapa. Se fortalece. Não pertence ao lado A e nem ao lado B. Imparcial como sempre em seu mundo paralelo.
 Inventa, reinventa. Muda e transforma. As coisas ao seu redor finalmente mudaram.
 Ela respira pela ultima vez um suspiro carregado.Os próximos suspiros serão de fato levados levemente.