24 de fev de 2012

Sans routine

 O despertador tocou sete horas em ponto. Muriel levantou-se. Como fazia toda manhã calçou seus sapatos indelicados que contradiziam sua delicadeza e principalmente seus traços.Colocou comida para o gato, fez suas torradas,e preparou sua bolça de trabalho.
Mas algo lhe passou em sua cabeça. Ela percebeu que estava farta de rotina, queria fazer algo diferente, inovador.
 Então desfez sua bolça de trabalho,fez mais torradas do que já estava acostumada,colocou patê para o gato ,tirou teus sapatos indelicados. Pegou caderno e estojo, calçou rasteirinhas tão delicadas quanto sua delicadeza.
 Partiu, foi de bicicleta ao invés de carro.Não foi para o trabalho. Foi para uma praça. Sentou-se em um banco que não costumava sentar, falou com gente que nunca ousara falar.Sentiu-se como nunca tentara sentir. Sorriu como já mais sorriu. Viveu como nunca viverá. Aprendeu o que já mais pensara o que aprenderia. Aprendeu que a vida é tudo inovaria!

23 de fev de 2012

 Me faltam cores,gesto, sinto falta das palavras de certa forma "salvadoras". Palavras que deem entendimento, ou desentendimento. Tanto faz.
 Apenas quero palavras para me expressar.Palavras para me acalmar e não atormentar,com ultimamente estão fazendo.
 É eu perdi,respirei fundo,tentei fechar meus olhos para conseguir um momento de paz. Sem chances. A dor resolveu não me dar tempo hoje.É ridículo falar sobre dor.Bom, para mim é. Mas é inevitável não denominar isso como dor.Pelo visto não me adapto a essas coisas de ser humano. Nós somos complicados de mais. Nem palavras não nôs entendem mais, ou pelo menos não entendem mais a mim...
Quantas decepções,isso porque pensei que esta tudo errado. O que esta errado?O que seria o errado? Seria algo que simplesmente aconteceu?Ou era um pretexto do que iria acontecer?
 "Toda ação gera uma reação", disso eu estava ciente. Mas precisava ser uma reação negativa? Você não soube me responder. Alias nem eu mesma soube.
Nunca soube de nada, por que esperei saber dessa vez? Na verdade confiei...e essa foi minha burrice. De que adianta nascer genia se no final não usei essa genialidade? Que seja,a unica coisa de que sei é que hoje em dia sou uma burra e não mais genia.

.

Parece até que estamos economizando palavras
talvez sejam as minhas manias desastradas,
ou suas, talvez.
Parece que somos estranhos
um para o outro.
Ok! Vamos tentar mais uma vez!
A necessidade de palavras em falta
ou então, a necessidade de desnecessidade.
Éh pode ser.
Melhor, eu quero não ser.
Eu fiz de tudo um nada.
Fui eu mesmo que fiz?
Não é isso o que me condiz.
Confusão?
Um pouco, estou apenas tentando me acertar
ou errar.
Esta bem! Vou me acomodar!

 

20 de fev de 2012

Compasso descompasso

 Eu não ligo em perder nada. Nada me pertence. Nem eu mesma pertenço a mim. Apenas os segundos ilegítimos posso considerar meu.
 Segundos que poderia por acaso virar minutos. Minutos que com algum esforço poderiam virar horas. Horas que com alguma esperança poderiam virar dia. Dia que com persistência poderiam virar meses. Meses que poderiam virar anos. Mas isso não passa de uma utopia  

Mal dia!

 Bom dia!
 Por que as pessoas tem mania de falar bom dia para os outros quando elas mesmas não estão tendo um bom dia? Deveríamos falar mal dia,ai sim seria correto.
Pois bem vamos começar de novo...

 Mal dia!
 Sim,o dia para mim já começou mal, ou simplesmente seria a continuação do mal dia passado, bom que seja.
 Acordei cedo de mais hoje. O que houve? Eu não sei. Apenas acordei. O tempo esta nublado e melancólico, o que de fato combina com o meu estado de espirito.
 Por que eu vim me suplicar aqui? Na verdade acho que vim pedir ajuda, ou querer ser escutada. Ah foda-se! Já que vim para lamentar vamos -la.
 Oh não! Não quero me lamentar, quero apenas extrapolar a minha raiva. A raiva de mim mesma. Sua otária! Pena que estou digitando nessa merda de computador para a merda de um blog. Eu poderia estar escrevendo em um dos meus cadernos. Ai sim a raiva estaria nítida nas palavras e marcas de lápis apertados fortemente contra a folha lisa. Mas o que estava mais fácil me contentou!
 A vontade de sangue aumenta.Não,não esses pensamentos tentadores não!Maldita promessa!!
 Enfim,o que não tornou meu dia péssimo, foi o fato de que logo que acordei meu cachorro veio pedir carinho, subiu em cima da minha cama e esfregou tua cabeça em meu pescoço. Obrigado seu lindo, pelo menos sei que ainda existe verdade no mundo, pelo menos sei que ainda existe pureza e amor...

9 de fev de 2012

Querida Natasha...

Quem diria que eu iria achar essas fotos nas tralhas que estão salvas no meu computador?
Quem diria que essa foto iria me trazer lembranças de um passado que pra sempre marcará a minha vida?
Tenho saudades desse tempo, do tempo que nós dizíamos que parecíamos "irmãs" pelo simples fatos: de conseguir virar o braço estranhamente, escrever musicas á noite, nos cortamos por causa da realidade dolorida, pelo fato de que gostávamos de coisas parecidas.
Onde foi parar toda essa infância e inocência? Foram para nas ruas, nos becos, nas drogas e bebidas. Sim ela se tornará uma rebelde. E eu uma otária que se afunda em estudos para não encarar a realidade. Ela forte. A otária fraca.
Desde muito nova ela sempre demonstrou independência. Sempre demonstrará coragem, mas eu sabia que aquilo era uma armadura,pois um soldado para ir a guerra precisa de armadura para não se ferir muito, certo? E eu sabia que a vida para ela sempre fora uma batalha, e as ruas e locais sempre fora seu campo. 
Me lembro perfeitamente, aqueles olhos azulados,seus cabelos na época loiro, teu corpo miúdo, sua inocência ainda não tinha sido dissipada por completo.
Mas hoje, com 16 anos a garota se rendeu as ruas, encontrou seu ombro amigo nas bebidas.Drogas...Vamos deixar esse assunto de drogas para lá.Pois me sinto fraca frente a ele. 
A otária sempre a observou, apesar de que ninguém nunca perceberá, dias em casa apenas olhando-a pelo vidro de meu quarto. A dor, a preocupação, a saudade. Sempre estiveram expostas nas paredes de meu quarto. Lembra de quando nós nos conhecemos? Ainda se lembra disso?
É minha querida, apesar de quase nunca ter demonstrado meu afeto de amiga para você, eu sempre me importei...Talvez você nunca tenha percebido, sim teve uma época que me tornei invisível a teus olhos claros. Mas sempre me importei, e sempre estive do seu lado quando precisou e ainda estou, apesar de você ter feito pouquíssimo uso dos meus ombros amigos.
Mas sim, eu sempre estive e sempre vou estar do teu lado.
A preocupação que me causa de saber que uma amiga minha se perdeu no caminho da vida, essa criança entrou em um labirinto e nunca mais saiu. Suas provas foram mais difíceis. Mas ela sempre foi forte. Sempre passou por cima dos desafios.
Ah ! Como eu queria que você soubesse que sempre vou estar aqui para te levantar.
Mas a vida pra varia sádica como sempre, mudou nosso percurso e principalmente o seu...
Mas lembre-se sua Natasha, tem uma amiga  aqui que se importa contigo.

Com carinho e afeto
Otária