4 de mar de 2013

Uma questão de conjunto de dados sobre a posição e velocidade de um certo corpo

 Cansei das linhas mal traçadas, das retas tortas desenhadas que são movimentadas pela inércia maldita... Falo palavras bonitas, que alegram o mundo, que encantam pessoas, mas que não me dizem nada. Palavras cuspidas  em uma trajetória retilínea intersectada por dois pontos não-alvos, por variações de tempos irrelevantes, com sua variação de espaço abundante...
 Quero linhas novas, nunca traçadas. Frases nunca ditas, mas entendidas.  Quero colar imagens despedaçadas já vistas de sonhos. Uma artesã bem treinada, uma artista conquistada, uma folha apagada. Uma caneta cristal conectada ao papel que agora desenha suas linhas bem desenhadas, com retas bem traçadas, com as curvas mais abstratas, com a noite atordoada, e a cama mal dormida. Com a lua sorrindo a me convidar para ser  "aquela que quis, mas não fez, que quer e vai fazer. Hoje."   Com a minha trajetória progressiva retardada... A vida é curta, e acelerar só vai à encurtar mais... 

Um comentário:

  1. Lindas palavras! =)
    Nada mais de anseio que traz o acelerar...nada mais que linhas curvas ou retas, digo sim tbm,as frases inéditas. Tudo sem pressa...dentro do tempo, do nosso viver!

    ResponderExcluir