15 de fev de 2013

Apenas observações lembradas

 Da janela, localizada no sexto andar de um prédio antigo e fétido, observo-te andar desajeitado entre folhas que abrem caminho para os seus passos incertos, suas manias patéticas e seu lindo jeito de sorrir... A lembrança do seu toque. Do nosso toque. Os nossos corpos em choque. A nossa pequena escassez  . O riso abafado, o choro acanhado, e os lábios a sorrir.  Lembranças passadas necessárias e ordinárias. Acumuladas em um pequeno ser, que ainda guarda em si as cinzas espalhadas do seus erros e encantos, das suas preces e prantos, da fluidez do espanto ao observar-te assim...

8 de fev de 2013

"Já que ser vadia é ser livre, então sou uma vadia"

  Deixo a janela aberta para ver se chove aqui dentro também. Há coisas que precisam ser regadas, e principalmente observadas. Precisamos abrir os olhos para o mundo a fora. Deixar de olhar apenas para dentro.
 ...Cidadãos egípcios protestam contra uma ordem religiosa para assassinar oposicionistas. Na Tunísia, o povo quer uma nova revolução. No Brasil, como se é de costume, em fevereiro a festa rola a solta .  E eu aqui tentando, deliberadamente, fazer uma festa dentro de mim...
  Me esparramo na cama, escrevo palavras entrelaçadas com linhas de coisa alguma, que grita e esperneia. Linhas desprezíveis que apenas servem para abafar o grito que sufoca  e não deixa dormir. A sede de mudança aumenta gradativamente, enquanto a chuva diminui drasticamente, dando espaço a uma lua que sorri para os vagabundos que perambulam pelas ruas, despojados, atordoados e acomodados... Irônico isso! Por que não sorri para quem de fato não se oprimi? As estrelas parecem dançar entre si, assim como o grito que esta lutando, mas que aos poucos esta se sufocando aqui dentro. Dentro de mim...
... Em Nova Guiné uma mulher acusada de bruxaria é queimada viva...  E a festa rola a solta... E o grito sufocando, acusando, pensando e OBSERVANDO.... " Puta carregue as chagas do mundo/ aguente o fétido compromisso do imundo/ fere-te  a fundo/ noites de perversões/ moralidades,escusas e alucinações/ mil perdões..." Puta mostra a tua cara para o sociedade imunda que tanto tenta te calar!
Mostra-se para o mundo, seja puta e vadia, assim a sociedade um dia há de te olhar...


3 de fev de 2013

Sonhos libertos experimentados

 Ouvir o ruido estridente do radio do vizinho em momentos como aquele não se era apropriado, até porque a música tocada era inevitavelmente Comptine d'Un Autre Été. Ironicamente Yann Tiersen e o vizinho eram duas coisas que não se combinavam... A TV  ligada, a sala fria, e a fumaça que subia junto com seu o aroma de cólera, causavam uma impressão desgostada. Então, apenas fechou seus olhos e sonhou...
...Assim voou. Voou tão alto que mal conseguiu ver o chão, subiu e subiu até não mais poder descer, e riu como nunca rira, e viveu como nunca vivera. O desgosto da vida sumiu. E ela sabia. Sabia qual era a dança que a sua alma acompanhava. Suavemente e delicadamente. Com pensamentos que surgiam e se alimentavam um dos outros. Incompreendidamente, tragicamente, amavelmente. Que foram se encontrando em sua imaginação mutua, corriqueira e tardia demais para o acaso.
 E mesmo assim, discretamente sonhou, voou e viveu. Desceu assim que acordou. Sorriu, olhou, tragou e nunca se esqueceu, da vida liberta e voadora que experimentou e sonhou, que não mais desgostou...