16 de jun de 2015

Coloca um sorriso na face para fazer sorrir a alma e saí viver... a vida é pra quem tem coragem.

29 de mai de 2015

A garganta ta apertada
Sufocada, indecisa.
Ta faltando loucura
na ponta da língua
e dentro do peito.
Certo e errado é ponto de vista.
Não ao pudor.
Falta insanidade na mente
da gente.
Falta a crença ser crente.
Falta a mente fundida em loucura latente.
O medo do inconsequente atormenta
Atordoa
Deixa à toa
A vontade do ser
de ser
de viver assim
Batendo as asas sem medo.
Mas tem.
Tem medo
Tem pudor
Tem descontentamento.
Mas gosta
Luta, sente evaporar.
Porém gosta.
E não se culpa,
não sente remorso.
Pois sente a vida.
A cabeça obriga
o peso nas costas.
mas não carrega
não leva.
Só vive.
Só vive.

4 de abr de 2015

segue fluindo

 O aperto na garganta faz faltar ar.
 Engolir o coração não é uma ação viável
 nem saudável.
Seca por dentro. Resseca a face por fora.
Respira.
 Quantas pancadas um coração calejado pode aguentar?
 Tantas, eu sei.
 Os esparadrapos já se desprendem com facilidade
 sem puxar pele nem nada.Sem ser traumático.
 Asmático, o pulmão fica. Sem ar, descompassado.
 Explodir por dentro. Agonia latente esvai pelos olhos à fora.
 Coração acelera. Pulmão desacelera.
 Perda total.
 Pupila dilatada.Boca seca. Mão fria.
 Talvez olhar para cima, deitar
 e contar até 100 ajude.
 Não, piora, tortura, e enlouquece.
 E por esses tropeços a coisa flui
Erradamente talvez, mas vai... tropeçando e caindo
Porém flui.



12 de mar de 2015

De: Para:

 Ninguém disse que seria fácil ver o passado reprisar como uma fita sendo rebobinada. Ninguém mencionou a dor que viria a dançar com salto agulhar no peito não calejado. Não, ninguém sabia. Minto! Eu soube... Tanto soube que a garganta apertada conseguiu e ainda consegue afogar o grito de socorro. Tanto soube que a respiração descompassou com os batimentos cardíacos. Tanto soube... que no final não conseguiu saber como agir. Na verdade nunca soube de nada. Apenas aprendeu a afogar-se na imensidão que é o sentimento do ser.
  Terrível não saber otário! Apego terrível que não se diz ser sábio. Ninguém sabe de nada nesse mundo! Nem Pablo que chorou as dores da America Latina sabia. Nem Guimarães que fez Miguilim sofrer. Nem Clarisse . Nem Cartola. Nem Chico. Nem meu cú, como diz Gulart, que também não sabia de nada.
 Por isso, por não saber nada, peço desculpas a mim mesma. Peço olhando nos meus olhos vendo a imagem da pouca força interna no espelho. Choro. Mas desculpo-me.
 Talvez eu mesma me convide para sair amanhã a noite. Talvez. Talvez eu mesma marque um encontro com o eu interior que ta aqui dentro escondido em um canto com medo de sair e assim se machucar mais. Amanhã irei comprar um presente e o darei para mim, assim simplesmente, como um gesto de eterno carinho. O encontro espero que seja bom, espero que renda alegrias e espero que me apegue sem medo dessa vez. Amanhã, talvez, eu tenha  o encontro da minha vida.Espero, não sei. Amanhã eu não sei de nada, nem ninguém.    

18 de jan de 2015

Coma ausência. Com a ausência.

Sentada.em frente.da janela(entre) aberta....respiro
 Que falta me faz sua falta que não entra mais neste quarto, e não se joga da janela.
  Falta que não me faz mais sentido. Mas um dia fez sentido para os dois. Ausência cênica. A porta ainda esta (entre!)aberta. Entre. A cama ainda esta (comaausência) arrumada. O corpo (despido) ainda dorme.
  Entre e veja a falta que faz sua falta. A ausência de ausência nesta casa. A falta de corpos. A falta de verbo. A sua falta.Você.
 Veja bem, olhe o chão limpo. Sem cacos de vidro. Sem rastros da ausência sentida. Sem falta perdida.
 Sinta o aroma. A fragrância. A distancia de dois seres. doiseresausêntessemparentêseseespaço. Lados que não foram divididos. Mantendo-se uno.Une.Unilateral para os dois.Nós dois.
 O ar que faltava. O ar que fal(a)-va ta faltando. O ar que respirava, gás carbônico que voltava e sentia falta dessa ausência de ser.Na sala escura não (entre) aberta para nós. Para você. Para mim.

em memoria

"Morreu de quê?
 -Se sufocou com as palavras que nunca disse"

Menino,quem vai entender o que pensou e o que sentiu? Essa dor era só sua e de mais ninguém. E assim como fato surpresa deve ser respeitada e não julgada ou desmoralizada.
Coisas importantes largadas para trás. A dor fora mais, que mal há em sentir dor? Que mal há em se sufocar com tal? Nenhum. Sentiu.Chorou.Pulou.Voou.... Sem alardes, apenas memórias de tempos bons que presenciou, viveu e sorriu, cuja dor ocultou para todos, perante todos. Até agora.

 Eu to cansada dessa demora, desse tempo que custa à passar. Eu to cansada de toda a nossa falcatrua. Desse vai-não-vai. Desse rola-não-rola. Cansei desses olhares trocados à distâncias. Dessa insegurança e da não esperança. Eu cansei desse tempo todo...eu só queria poder me ver, me ler em você, me traduzir em cada curva, em cada gesto e afeição sua. Por um dia, um minuto. Apenas um momento eu quis, eu quero. Ser sua por um segundo que for, apenas ser e não inventar, não tomar posse nem nada. Eu queria apenas ser, e deixar estar o momento do tato, do cheiro, dos corpos e nada mais. Eu to cansada disso tudo, dessa coisa toda, apenas me toma e me faz esquecer do mundo, me faz esquecer de mim.