18 de dez de 2011

Dialogo

 Estava passando frente a teu quarto, quando ouvi seus choros. A menina estava aos prantos, gritava ansiando ajuda, parecia que sabia que eu estava la para ajuda-lá. Mas na verdade eu estava para encontrar outros rostos que completassem o meu.
 Parei na porta. A menina se encontrava ajoelhada,rezando desesperadamente.Soluçava.
 Eu sabia que sua fé não seria capaz de cura-lá. Apenas ela mesma poderia fazer isso. Mas suas forças foram se esgotando. Estava escrito nos  seus olhos.
 Resolvi entrar, ela me olhou amedrontada. No momento nenhuma palavra fora solta no ar.Fui o primeiro a falar:
 - Aconteceu algo querida?
 -Isso é da sua conta?- Respondeu ela.
 Não vou julga-lá por ser mal educada, ela apenas havia colocado sua mascara para parecer forte.
 -Sei que ti não é assim. Se pudesse me contar seus problemas talvez eu pudesse ajuda-la.
 -Como poderei contar meus problemas, se não vou ter certeza de que não irás me abandonar.
 Nesse momento soube exatamente o que aconteceu. Aquela criança havia confiado profundamente em alguém, que acabou a machucando.
 -Pode confiar em mim, não vou abandona-la.
 De repente, seus olhos arregalaram-se, e ela falou quase que num sussurro
 - O homem, ele esta vindo. Corre o homem. Consegue escuta-lo?. Ele esta por toda parte. Desde que mamãe morreu, ele vem sondando meus ouvidos e eu as vezes grito para espanta-lo, mas ele sempre volta...
 Aquela menina fora tomada pela sociedade e a loucura a dominou. E ansiava por descobrir mais, queria estuda-la a fundo.
- O que essas vozes dizem para você.
- Elas dizem para me manter distante dos outros,para ser forte e não chorar. Mas isso é muito difícil. Então eu começo a rezar para papai do céu, como mamãe me ensinou. Mas ele nunca me ouve, ou então não se importa comigo.
 Aquilo para mim fora muito forte. Como uma criança com aquela idade perde toda a fé? Não sei.
- Moço
Me assustei nesse momento, me encontrei perdido em meus pensamentos.
- Sim querida?
-O senhor me ajuda?
-Ajudar com que?
-Ajudar a acabar com a hipocrisia da sociedade?      

mero momento

 A dor já não esta mais tão forte, apenas sinto por perder um amigo. Bom, pelo menos eu o considerava um, apesar do pouco tempo que o conheci. Mas é sempre assim, pessoas vem e vão na sua vida, só ficam aquelas que realmente se importam com você, e são por essas que realmente vale a pena morrer.
 É incrível como nos enganamos achando que tal pessoa irá nos perdoar, isso tudo porque sempre quando fomos magoados por ela que acabamos perdoando sempre. Ai quando é você mesmo que acaba magoando,acaba que  não recebe a mesma resposta de volta. Ao decorrer disso tudo vem a ilusão...
 Ridícula ilusão, só serve para atrasar a minha vida, junto com o fato de me preocupar com pessoas que não mereciam tal preocupação.
 Por que me importo tanto com os sentimentos delas? Elas nem ao menos estão ligando para os meus. Tenho que parar de me importar. Tenho que começar a me importar com quem realmente merece essa importância toda.
 Mas isso serve de aprendizado, a vida sempre nos pregará peças, e nós temos que vive-la intensamente. Apesar de toda magoa que existir dentro de nós. O tempo é mero momento. Não a tempo suficiente para ficar atrasando ele com coisas passadas.
 Agora que venha o futuro, e espero que eu tenha aprendido a lição...
 
 
 

15 de dez de 2011

Vida nos palcos

 Medo.Ansiedade.Emoção.Energia.Força...
 É inexplicado essa sensação. Vamos dizer que seria um amontoado de emoções em apenas um corpo só. Um corpo que não é capaz de aguentar tanto...
 O público entra, a coxia explodindo de energia, os corpos com suas crenças, mas ambos acreditando em uma coisa só.Energia em grupo.
 A música começa, o elenco entra em sintonia, o nervosismo paira sobre o ar.
 As personagens em cena dão o melhor de si. As personagens escondidas na coxia dão forças um para as outras. Choros, risos,explosões,xingamentos,orações...Tudo isso obra de uma energia imensa.Uma energia positiva e boa,alias, excelente!
 É algo pronto para se explodir ao entrar em cena.
 No palco tudo acontece. Tremedeira,medo,vontade... Sim, a energia finalmente é liberada.
 O público vai ao delírio, os atores  encantados e enigmáticos.
 Risos...Como é bom ouvi-los, como é bom senti-los.
 Choros como é bom vê-los.
 Tudo isso é transparentemente a ânsia por mais, e mais.
 Tudo isso é uma MERDA gritada bem alto!
 É a energia enigmando cada um. É a roda de atores concentrada.
 É um final feliz...
 

12 de dez de 2011

Tum...Tum...Tum...

  Deixo a música me levar, a hora perfeita para ela ser tocada.
  Lembranças de tempos bons reaparecem. A nostalgia toma conta do ambiente. No passado, de certa forma era bom, mas hoje em dia me pergunto "o que esta havendo comigo?"
 Aqui estou. Um monstro, moldado pelo tempo.
 Escapatórias não existem mais.
 Tentativas falhadas...
 O Passado quebrado...
 O presente mero instante...
 O futuro não existe.
 O ponteiro começa ...Tum...Tum...Tum...Tum...Tum...Tum...Tum...Tum...Tum...Tum...Tum...Tum...
 ...Acabou-se o tempo.
 Coisas cometidas no passado não se pode consertar no presente. No futuro...no futuro...incerto.

8 de dez de 2011

O caderno

 Sou eu que vou seguir você
 Do primeiro rabisco até o bê-a-bá
 Em todos os desenhos
 Coloridos vou estar
 A casa, a montanha, duas nuvens no céu
 E um sol sorrir no papel
 Sou eu que vou ser seu colega
 Seus problemas ajudar a resolver
 Sofrer também nas provas bimestrais
 Junto a você
 Serei  sempre seu confidente fiel
 Se seu pranto molhar meu papel
 Sou eu que vou ser seu amigo
 Vou lhe dar abrigo
 Se você quiser
 Quando surgirem seus primeiros raios de mulher
 A vida se abrirá num feroz carrossel
 E você vai rasgar meu papel
 O que está escrito em mim
 Comigo ficará guardado
 Se lhe dá prazer
 A vida segue sempre em frente
 O que se há de fazer?
 Só peço a você um favor se puder
 Não me esqueça num canto qualquer

O que é a loucura?

  Não há nada que se possa fazer para salvar a mentira. Estou abatida novamente, prestes a pertencer a eles. Falhei.
  Eu sei que embora esteja perto do errado, sei também que não estou tão distante do certo, e isso faz com que meu intimo se convença de que há algo de errado. Mas estou tentando manter minhas intensões, meus propósitos, minha felicidade.
 Alguns acham que sou louca.
 Bom, a minha pergunta para eles é: " O que é a loucura? "
 De acordo com Paulo Coelho, "é a incapacidade de comunicar suas idéias. Como se você estivesse em um país estrangeiro- vendo tudo, entendendo o que se passa a sua volta, mas incapaz de se explicar e de ser ajudada, porque não entende a língua que falam ali."
  E quando leio esse trecho não me sinto tão diferente assim, e isso faz com que  me conforte.

30 de nov de 2011

 Sou tão ruim assim?
 Essa questão pouco me importa. A minha preocupação se volta para as pessoa ao meu redor.
 Por mim não teria nenhuma, viveria isolada, longe de tudo e de todos. Assim não poderia magoa-los, descontar neles o que de fato é problema meu.
 Por mim viveria em um lugar onde não haveria vida, exceto a minha. Assim não poderia infligir nenhuma regra, acabar com algo, ou simplesmente faze-la dissipar.
 As vezes necessito isolamento, tanto material como mental.
 Há um monstro que aos poucos esta me tomando. Ele é muito conhecido como o ódio.Esse sentimento denominado pelo dicionario como sentimento de profunda inimizade, ira contida,rancor violento e duradouro...
 Isto esta me consumindo, estou tentando barra-lo, não deixa-lo se apoderar. Mas esta sendo complicado.
 Sem isolamento acaba dificultando minhas tentativas.
 Talvez eu me afaste das pessoas por um tempo, talvez não...
 Não. Não consigo me afastar delas, são tudo para mim, necessito delas, das companhias, das conversas. Isso me mantém viva! Isso me dá força!
 Só que essa escolha de não afasta-las pede um preço. A magoa.
 Esse é um preço muito grande, mas não sou eu quem paga, as vezes, mas não sempre. Geralmente são as pessoas que eu insisto em manter perto que arcam com as consequências.
 E isso tudo porque sou egoísta o suficiente para não afasta-las. Esse meu egoísmo de pensar só no que vou sentir, não me interessando com o que estou fazendo para os outros. Isso faz com que eu acabe tomando uma certa conclusão:
 O monstro não é o ódio,mas sim, eu.

 

25 de nov de 2011

Caroline

 Memórias, não passam disso. Memorias que um dia foram jovens e cheias de energia.
 Caroline,se deliciava ao som das músicas.Seus músicos preferidos sempre fora Beethoven e Mozart. Ambos ela ouvia sem enjoar.
 Para cada estado de seu humor, ela encontrava a trilha sonora certa. Quando estava deprimida recorria ao seus amigos violinos.
 A música começava,o volume de certa forma alto de mais para os vizinhos, mas Caroline não ligava. O enredo da musica estava se desenrolando, sua parte preferida estava chegando. E em um determinado momento, pôs-se a dançar. Pulava. Elaborava gestos e gestos enigmáticos que compunham uma coreografia. Delicadamente balançava seus braços para um lado e para outro, o sorriso em sua face presente.Outrora pulava. Outrora rodopiava.
 Esquecia de tudo e de todos, vivia apenas o momento.
 Um arrepio. O choro dos violinos. O êxtase em suas veias. Pelos irisados. O suor escorrendo. O calor ardente. Sentimento de paz.
 Tudo se encaixava com a música que a deixava viva novamente...    

18 de nov de 2011

Simplesmente Machado

"8 de Abril
Papel,amigo papel,não recolhas tudo que escrever esta pena vadia. Querendo servir-me, acabarás desservindo-me,porque se acontecer que eu me vá desta vida, sem tempo de te reduzir a cinzas, os que me lerem depois da missa de sétimo dia, ou antes, ou ainda antes do enterro,podem cuidar que te confio cuidados de amor.
 Não,papel. Quando sentires que insisto nessa nota,esquiva-te da minha mesa, e foge. A janela aberta te mostrará um pouco de telhado,entre rua e o céu,e ali ou acolá acharás descanso. Comigo, o mais que podes achar é esquecimento, que é muito, mas não é tudo; antes que ele chegue,virá a troça dos malévolos ou simplesmente vadios."
   (Trecho do livro Memorial de Aires- Machado de Assis)

17 de nov de 2011

Senhor das moscas

 A sociedade passou a consumi-la, cada um queria um pedaço de teu corpo. Transformaram-na em um monstro, sim, uma mera boneca de plastico.Teu sorriso sempre amargo.
 Uma das pessoas mais confiáveis a traiu, levando-na ao inferno.Por que confiamos tanto em pessoas? Por que não conseguimos ficar calados, guardar tudo para nós.Seres humanos fracos, medíocres que tem que crescerem acima dos outros, qual o sentido disto? Qual o sentido de destruir a felicidade de uma amiga?
 Oh senhor das moscas transforma essa cruz em asas. Liberte faça voar. Senhor das moscas, escuta-me? Por que existem esses podres que não aguentam ver outro feliz?
 Senhor das moscas, a menina esta reprimida, e sente falta de um estilete, ou uma navalha, o que for, apenas para abrir um mero buraco, que se tornou maior.
 Sim, senhor das moscas ela fraquejou...

14 de nov de 2011

Lembranças

 Meia noite, não ouço mais nenhum som da rua.
 A lua deve ter perdido a memória, pois esqueceu de aparecer.
 Totalmente sozinha, sob as luzes dos postes,me recordo dos momentos, e posso assim sorrir dos dias passados. Fico assim apenas para deixar a lembrança viver novamente.
 Sim, as lampadas estão piscando, alguém está murmurando um aviso fatalista.
 Luz do dia, devo esperar pelo nascer do sol? Devo partir? Sei que quando amanhecer essa noite se tornará lembrança também, e uma nova vida começará.
 Toque-me, é fácil abandonar-me com uma lembrança dos meus dias de sol...

Manchas

 A vela mais brilhantes de todas foi apagada. Apagou-se pois foi sufocada por aqueles que não podem encarar a realidade. Sobrou apenas um resto, mas nesse resto não contém todas as respostas certas.
 Uma boneca de porcelana foi quebrada pelas ondas do mar. Cada batida de seu coração quebrou meus pensamentos em pedaços.
 Nessa pagina negra da história encontra-se cores firmes.
 Eu me arrepio...
 Esta história se encontra manchada, tudo que resta é apenas um pretexto do que poderia acontecer.
 E nada parece em vida, em sonhos como era para ser...

10 de out de 2011

Tempo perdido

   Mais um ônibus passou, e ainda estou aqui. Me prendi a certo modo nesse local, não sei ao certo o que me faz continuar aqui, a unica coisa que sei é que está fechado para visitas. O único ser que se encontra presente sou eu.
 Sinto falta do calor,o frio está cada vez mais presente em minhas minhas veias, entrando em cada artérias. Meu sangue não escorre mais rapidamente... Sangue,marcas,dor... isso me saciava a um certo tempo atrás. Mas hoje são apenas cicatrizes que não saem, servem apenas para me mostrar que isso foi perda de tempo...

3 de out de 2011


Cantando,
Eles estão cantando
presentes em minha cabeça
em meus pensamentos.
Eis uma orquestra
seguida por uma peça
O enredo se desenrola
a música o acomoda
O teatro está cheio
A coxia está em silencio
Apenas se é possível sentir
o pulsar de cada ator
e o sentimento de cada nota...

Nós somos normais e alto controlados
não precisamos de Whisky e cigarros baratos
Fomos tão alto
que não conseguimos levantar.
Apenas dialogar não basta!
A brutalidade da realidade
é a liberdade que nos segura
Por isso vestimos sobretudo
para a chegada do inverno nuclear... 

28 de set de 2011

Sonhando


Sonhando,
Já estive sonhando
com um lugar diferente, inovador
Mas ainda sim
sinto pavor
O tempo não perdoa
Apenas manda garoas
Por que se esconde o sol?
Tento encontra-lo
Mas não o acho
Apenas vejo uma luz caindo
E logo mais, o estrondo
Sim, é a tempestade chegando
Está vindo ao meu encontro
Está em meus sonhos,
Está comigo.
Eis aqui, meu caro amigo
minhas suplicas na mesa
não preciso de testemunhas
muito menos de sentimentos
apenas quero calmarias
e divertimentos 

22 de set de 2011

Querido fantasma


 Querido fantasma a onde pensa que vai?
 Estais calado, algo não o Contentai?
 Não ficais de costa para mim
 Olhe-me, deixe-me ver teu rosto.
 De súbito espanto, pôs-me a chorar
 Tua face és aquela que eu temia olhar...
 

Opostos

 Luz brilhante que encontraste com meu olhar
 Vistes alguma luz nele?
 Existe vida?
 Ajuda-te a encontrar olhos melhores
 Os meus não são os certos,
 Há muita escuridez
 Ti queres luz, não escuro
 Ti queres ler livros de histórias fictícias
 E eu me contento com os poemas de Fernando Pessoa
 Ti queres sensatez, e eu insensatez
 Ambos somos opostos,
 Não podemos compartilhar a mesma página.

21 de set de 2011

Colapso

 Um cavalo. O cavaleiro. Sua dama.
 A história aos poucos se desenrola como linhas de tear, assombros,angustias, tudo esquecido. Apenas o sonho continuará.
 Um campo.Vazio.Calmo.Livre.
 O cavalo corre livremente, o vento sopra em teus pelos fazendo com que dancem no ar, conforme a musica que as folhas delicadamente vão tocando com a ajuda de sopros de ventos, sim tudo isso o liberta, correr, voar. Tudo isso uma fantasia.
 O cavaleiro encontra-se aos prantos, aguardando sua amada. A águia veio lhe trazer a terrível noticia.
 Sua amada encontra-se deitada, frente ao morro. Encontra-se em um caixão todo feito a mão, com traços delicados,sua pele se mistura ao branco do cetim de sua roupa, seus cabelos levemente ondulados caem delicadamente fazendo o traço de seus seios, sua boca seca mas ainda demonstra a vida, seus olhos selados para sempre.
 O cavaleiro que a vida inteira a aguardou, agora encontra-se pensando em seu futuro, nunca havia feito algo do tipo.
 Sim, ele estava entrando em colapso.

20 de set de 2011



Podemos julgar realmente o que é certo ou errado?
Tentei mostrá-lo o que era certo, ou melhor, o que EU achava ser que era.
Sempre o avistava sentado no mesmo banco, observando tudo com tremenda serenidade. Sim, queria ajuda-lo, mostrar que não estava sozinho. Mas o que poderia eu fazer se me encontrava mais amedrontada que ele?
Sempre o vi calmo, ás vezes parecia um adulto e eu uma mera criança.
Naquela época o medo, o desespero, a magoa, a tristeza...Isso tudo me consumiu, o rompimento me atingiu.
Ainda me lembro claramente da noite em que isto ocorreu, a lua não brilhava, havia poucas estrelas, estava frio. Encontrava-me em casa, na época ainda criança, estava deitada assistindo TV, quando chegou a terrível noticia. De inicio foi difícil assimilar cada palavra, mas aos poucos tudo fez sentido e quando me dei conta estava gritando desesperadamente, me derramando em lagrimas, estava tremendo, desacreditada. Meu chão havia se consumido, minha infância acabada...
Logo depois que o mensageiro saiu, um anjo mais velho veio ao meu encontro e abraçou-me fortemente, chorou junto a mim, e com doces palavras falou-me através de seus soluços: "Sei que é difícil, mas temos que ser fortes, temos que   juntar nossas forças, e continuar seguindo em frente...
E foi o que fiz.
Mas nesse momento havia outro anjo, um mais novo, que estava em outro quarto adormecido serenamente. Minha total preocupação se voltou a ele. Como será que reagiria ao saber da noticia? Será que iria abalá-lo muito?
O anjo mais novo a ouviu com sabedoria, e permaneceu calado. Sim, como disse parecia um adulto, apesar da pouca idade que tinha. Eu acreditava que não sofria, alias, todos acreditávamos isso. Eu achava que não sentirá diferença, mas me enganei. Fui tola ao pensar que não sentirá. Ele o sentia mais que todo mundo, mas não demonstrava, era forte, não chorava, e isso o dilacerava.
Os outros não percebiam. Ele havia mudado se calará mais, se tornara mais sereno, mais adulto, sua infância fora mutilada, suas esperanças despedaçadas... Mas seu afeto e amor sempre continuou o mesmo, era muito apegado a mim, acredito que eu fora seu porto seguro. 
Apesar de nunca demonstrar os sentimentos presentes nele, eu percebia em seus olhos, o amor, o carinho, a alegria que sentia quando estava perto de mim e do anjo mais velho, não posso negar,também sentia o mesmo. Sempre que estávamos juntos, era como se nada tivesse acontecido, era como se a alegria brotasse e nunca morresse, era como uma montanha. 



5 Horas


5 Horas.
Nunca me deixam dormir,eu fecho os olhos e anseio pela luz do dia como uma criança com medo do escuro.
Essas vozes, essas lembranças, não me deixam.
Era tão pequenina quando aconteceu, a tempos não me lembrava. Isto é assombroso.
Fora da cama rastejo até encontrar-me segura, mas o tempo não passa e a lembrança permanece, somente a loucura me conhece.
Onde está o sentido nesse sonho tenebroso? 

Ser assim


 Hey mamãe pare de gritar por favor, sei que gostaria muito que eu vencesse essa batalha, mas a senhora não sabe o quão difícil é vencer.
 Hey irmão toda vez que gritastes comigo é como se fosse um estilhaço de bomba em meu coração. Por que sempre o desaponto? Não sabes o quão orgulhosa sou em relação a ti? Por que não podes sentir o mesmo orgulho por mim?
 Hey papai, por que parastes de falar comigo? Não sabes que teu silêncio grita alto e machuca os meus sentidos?
Hey pequeno irmão, desculpe por gritar contigo, essa batalha me estressa e o único que sempre está ao meu lado és tu, então estes gritos são desabafos que faço contigo. Um modo errado de desabafar admito!
 Me per doem por ser assim…

Estranho


Encontro-me em um quarto escuro
A luz insiste em me tocar com seus feixes
Que acidentalmente passam pela minha janela
Mas não,não as quero!
Oh!Por que anseio tanto por essa escuridão?
Sou algum monstro?
Algo me sufoca por dentro
É algo muito intenso
Sem sentido, idiota
Mas ao mesmo tempo tentador
Que me da uma sensação de calmaria
É algo estranho que nunca ousei sentir
Será que é alegria?
Não, me bloqueie disso há muito tempo!
Mas por que então tenho essa sensação de esperança?
Imprudente.
Sinto-me tola frente a isso,
Mas já que insiste em permanecer
Deixarei que assim seja
Apenas para que possa adormecer...