18 de dez de 2011

Dialogo

 Estava passando frente a teu quarto, quando ouvi seus choros. A menina estava aos prantos, gritava ansiando ajuda, parecia que sabia que eu estava la para ajuda-lá. Mas na verdade eu estava para encontrar outros rostos que completassem o meu.
 Parei na porta. A menina se encontrava ajoelhada,rezando desesperadamente.Soluçava.
 Eu sabia que sua fé não seria capaz de cura-lá. Apenas ela mesma poderia fazer isso. Mas suas forças foram se esgotando. Estava escrito nos  seus olhos.
 Resolvi entrar, ela me olhou amedrontada. No momento nenhuma palavra fora solta no ar.Fui o primeiro a falar:
 - Aconteceu algo querida?
 -Isso é da sua conta?- Respondeu ela.
 Não vou julga-lá por ser mal educada, ela apenas havia colocado sua mascara para parecer forte.
 -Sei que ti não é assim. Se pudesse me contar seus problemas talvez eu pudesse ajuda-la.
 -Como poderei contar meus problemas, se não vou ter certeza de que não irás me abandonar.
 Nesse momento soube exatamente o que aconteceu. Aquela criança havia confiado profundamente em alguém, que acabou a machucando.
 -Pode confiar em mim, não vou abandona-la.
 De repente, seus olhos arregalaram-se, e ela falou quase que num sussurro
 - O homem, ele esta vindo. Corre o homem. Consegue escuta-lo?. Ele esta por toda parte. Desde que mamãe morreu, ele vem sondando meus ouvidos e eu as vezes grito para espanta-lo, mas ele sempre volta...
 Aquela menina fora tomada pela sociedade e a loucura a dominou. E ansiava por descobrir mais, queria estuda-la a fundo.
- O que essas vozes dizem para você.
- Elas dizem para me manter distante dos outros,para ser forte e não chorar. Mas isso é muito difícil. Então eu começo a rezar para papai do céu, como mamãe me ensinou. Mas ele nunca me ouve, ou então não se importa comigo.
 Aquilo para mim fora muito forte. Como uma criança com aquela idade perde toda a fé? Não sei.
- Moço
Me assustei nesse momento, me encontrei perdido em meus pensamentos.
- Sim querida?
-O senhor me ajuda?
-Ajudar com que?
-Ajudar a acabar com a hipocrisia da sociedade?      

mero momento

 A dor já não esta mais tão forte, apenas sinto por perder um amigo. Bom, pelo menos eu o considerava um, apesar do pouco tempo que o conheci. Mas é sempre assim, pessoas vem e vão na sua vida, só ficam aquelas que realmente se importam com você, e são por essas que realmente vale a pena morrer.
 É incrível como nos enganamos achando que tal pessoa irá nos perdoar, isso tudo porque sempre quando fomos magoados por ela que acabamos perdoando sempre. Ai quando é você mesmo que acaba magoando,acaba que  não recebe a mesma resposta de volta. Ao decorrer disso tudo vem a ilusão...
 Ridícula ilusão, só serve para atrasar a minha vida, junto com o fato de me preocupar com pessoas que não mereciam tal preocupação.
 Por que me importo tanto com os sentimentos delas? Elas nem ao menos estão ligando para os meus. Tenho que parar de me importar. Tenho que começar a me importar com quem realmente merece essa importância toda.
 Mas isso serve de aprendizado, a vida sempre nos pregará peças, e nós temos que vive-la intensamente. Apesar de toda magoa que existir dentro de nós. O tempo é mero momento. Não a tempo suficiente para ficar atrasando ele com coisas passadas.
 Agora que venha o futuro, e espero que eu tenha aprendido a lição...
 
 
 

15 de dez de 2011

Vida nos palcos

 Medo.Ansiedade.Emoção.Energia.Força...
 É inexplicado essa sensação. Vamos dizer que seria um amontoado de emoções em apenas um corpo só. Um corpo que não é capaz de aguentar tanto...
 O público entra, a coxia explodindo de energia, os corpos com suas crenças, mas ambos acreditando em uma coisa só.Energia em grupo.
 A música começa, o elenco entra em sintonia, o nervosismo paira sobre o ar.
 As personagens em cena dão o melhor de si. As personagens escondidas na coxia dão forças um para as outras. Choros, risos,explosões,xingamentos,orações...Tudo isso obra de uma energia imensa.Uma energia positiva e boa,alias, excelente!
 É algo pronto para se explodir ao entrar em cena.
 No palco tudo acontece. Tremedeira,medo,vontade... Sim, a energia finalmente é liberada.
 O público vai ao delírio, os atores  encantados e enigmáticos.
 Risos...Como é bom ouvi-los, como é bom senti-los.
 Choros como é bom vê-los.
 Tudo isso é transparentemente a ânsia por mais, e mais.
 Tudo isso é uma MERDA gritada bem alto!
 É a energia enigmando cada um. É a roda de atores concentrada.
 É um final feliz...
 

12 de dez de 2011

Tum...Tum...Tum...

  Deixo a música me levar, a hora perfeita para ela ser tocada.
  Lembranças de tempos bons reaparecem. A nostalgia toma conta do ambiente. No passado, de certa forma era bom, mas hoje em dia me pergunto "o que esta havendo comigo?"
 Aqui estou. Um monstro, moldado pelo tempo.
 Escapatórias não existem mais.
 Tentativas falhadas...
 O Passado quebrado...
 O presente mero instante...
 O futuro não existe.
 O ponteiro começa ...Tum...Tum...Tum...Tum...Tum...Tum...Tum...Tum...Tum...Tum...Tum...Tum...
 ...Acabou-se o tempo.
 Coisas cometidas no passado não se pode consertar no presente. No futuro...no futuro...incerto.

8 de dez de 2011

O caderno

 Sou eu que vou seguir você
 Do primeiro rabisco até o bê-a-bá
 Em todos os desenhos
 Coloridos vou estar
 A casa, a montanha, duas nuvens no céu
 E um sol sorrir no papel
 Sou eu que vou ser seu colega
 Seus problemas ajudar a resolver
 Sofrer também nas provas bimestrais
 Junto a você
 Serei  sempre seu confidente fiel
 Se seu pranto molhar meu papel
 Sou eu que vou ser seu amigo
 Vou lhe dar abrigo
 Se você quiser
 Quando surgirem seus primeiros raios de mulher
 A vida se abrirá num feroz carrossel
 E você vai rasgar meu papel
 O que está escrito em mim
 Comigo ficará guardado
 Se lhe dá prazer
 A vida segue sempre em frente
 O que se há de fazer?
 Só peço a você um favor se puder
 Não me esqueça num canto qualquer

O que é a loucura?

  Não há nada que se possa fazer para salvar a mentira. Estou abatida novamente, prestes a pertencer a eles. Falhei.
  Eu sei que embora esteja perto do errado, sei também que não estou tão distante do certo, e isso faz com que meu intimo se convença de que há algo de errado. Mas estou tentando manter minhas intensões, meus propósitos, minha felicidade.
 Alguns acham que sou louca.
 Bom, a minha pergunta para eles é: " O que é a loucura? "
 De acordo com Paulo Coelho, "é a incapacidade de comunicar suas idéias. Como se você estivesse em um país estrangeiro- vendo tudo, entendendo o que se passa a sua volta, mas incapaz de se explicar e de ser ajudada, porque não entende a língua que falam ali."
  E quando leio esse trecho não me sinto tão diferente assim, e isso faz com que  me conforte.