22 de nov de 2012

 O mundo vai mal. Na verdade eu vou mal. Os tempos andam difíceis, meus joelhos fraquejam,  minhas mãos não têm mais forças para segurar firme. Na mesa do almoço, meu estomago revira, tento segurar, mas mais uma vez a realidade e os desvios são vomitados e cuspidos, com um gosto horrível de amargo, possivelmente do suco gástrico ou algo do tipo.
 Abro a porta, sigo só na cidade desacreditando na realidade que me acompanha. Queria descansar por um momento, deitar na cama em posição fetal, me esconder e não ver mais, não ver mais... Mas a brutalidade da realidade espanca e faz sangrar. Dramático?  Talvez, mas a vida é sádica, ela ri com seu jogo, onde as peças somos nós.
 Esse aperto na garganta e essa angústia, que me revira o estomago, parece nunca sessar.De fato são tempos difíceis. E a hipomania parece contribuir com isso. Maldita falta de sono que faz com que a libido aumente!!
  Repetição repentina. Tudo gera sem sentido. Até porque o mundo vai mal. Na verdade eu vou mal...

Nenhum comentário:

Postar um comentário