15 de fev de 2013

Apenas observações lembradas

 Da janela, localizada no sexto andar de um prédio antigo e fétido, observo-te andar desajeitado entre folhas que abrem caminho para os seus passos incertos, suas manias patéticas e seu lindo jeito de sorrir... A lembrança do seu toque. Do nosso toque. Os nossos corpos em choque. A nossa pequena escassez  . O riso abafado, o choro acanhado, e os lábios a sorrir.  Lembranças passadas necessárias e ordinárias. Acumuladas em um pequeno ser, que ainda guarda em si as cinzas espalhadas do seus erros e encantos, das suas preces e prantos, da fluidez do espanto ao observar-te assim...

Nenhum comentário:

Postar um comentário