29 de mar de 2013

25.

 Da janela, uma fresta de luz escapou, iluminando parcialmente o quarto mofado.
 A dor de cabeça era pungente, e seus olhos brilhavam com um olhar de descrentes...
 A ressaca de fato não fora pontual.

Ninguém pensava nos goles enquanto engoliam doses repetidas de tequila.
Ninguém pensou na presença do gosto amargo do dia seguinte.
Ninguém pensava nas palavras ditas, enfatizadas mentiras.
Ninguém reparou nos amantes inventados que fediam a tabaco.
Nos bêbados nojentos que se diziam animados,saciados
Os quais foram saciados com os seus 25 anos amontoados.

25 anos e todas as chuvas com suas gotas corridas
25 anos e todas as faces admiradas servidas
 25 anos em muitas camas dormidas.
 25 anos parte de uma vida corrida
 25 anos desperdiçados
25 anos desgraçados
25anos contados
25anos amados
25 narrados
25.

Nenhum comentário:

Postar um comentário