18 de jan de 2015

Coma ausência. Com a ausência.

Sentada.em frente.da janela(entre) aberta....respiro
 Que falta me faz sua falta que não entra mais neste quarto, e não se joga da janela.
  Falta que não me faz mais sentido. Mas um dia fez sentido para os dois. Ausência cênica. A porta ainda esta (entre!)aberta. Entre. A cama ainda esta (comaausência) arrumada. O corpo (despido) ainda dorme.
  Entre e veja a falta que faz sua falta. A ausência de ausência nesta casa. A falta de corpos. A falta de verbo. A sua falta.Você.
 Veja bem, olhe o chão limpo. Sem cacos de vidro. Sem rastros da ausência sentida. Sem falta perdida.
 Sinta o aroma. A fragrância. A distancia de dois seres. doiseresausêntessemparentêseseespaço. Lados que não foram divididos. Mantendo-se uno.Une.Unilateral para os dois.Nós dois.
 O ar que faltava. O ar que fal(a)-va ta faltando. O ar que respirava, gás carbônico que voltava e sentia falta dessa ausência de ser.Na sala escura não (entre) aberta para nós. Para você. Para mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário