5 de jan de 2012

 A fé realmente ajuda uma pessoa?
 A menina estava curvada em sua cadeira. Não era difícil de ver: ela tinha sua própria fé.
 De certo momento aquela imagem não havia me chamado muito a atenção, mas ao decorrer do tempo fui percebendo sua devoção, sua ânsia por cura. Não, ela não fora alienada por uma religião. Pelo contrário, ela fez sua própria religião, sua própria crença.
 Era uma garota um tanto normal. Sua pele era clara, cabelos castanhos claros também. Seu olhos...há seus olhos quão sofrimento guardavam, quanta angustia, quanta dor...
 Ela estava acompanhando um senhor portador de uma deficiência mental. Era um senhor adorável! Como gostava de tirar fotos!!
 A garota tinha paciência e carinho por ele, era tamanho amor que nunca vi igual.
  Na hora da fraqueza ela se curvou, rezou,rezou e rezou. Acredito que nada se concretizou. Mas seus olhos logo, apos suas preces, não eram mais os mesmos.Eram realmente vivos, belos e cheios de brilho. Ao passar por mim,sorriu.
 A imagem dessa garota e de sua fé  permaneceram vivos em minha memória. Talvez seja pelo simples fato da minha fé ser fraca. Ou então por conhecer um verdadeiro amor ao próximo,coisa que o meu coração de pedra muitas vezes me impede de ter. Pode ser que seja então a sua demonstração de um sentimento puro e agoniado.
 Sim, era a agonia dela com a qual me identifiquei.
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário