9 de dez de 2014

 "Não volte para casa meu amor, que a casa é triste"- O lençol desarrumado, assim como o cabelo não penteado, o gosto de fel na boca ...
...Você já sabia, todos viram e mentiram. Enxuga as lagrimas, lava o rosto. Passou.
Amasse o papel. Jogue no lixo.

O espelho reflete a dor vertente... Não se pode voar em um mundo onde os outros te prendem à ele. Não se pode sair de uma rua, quando esta é fechada por muralhas que não lhe permitem ver.

Não
pode-se
fazer
mais nada.

N-A-D-A fragmentado. Oculto e não refletido pelo espelho, pela lua.

Na rua perambula vagabundos esquecidos da noite. Na sarjeta bitucas abandonadas junto com o lixo de todas essas casas tristes.

"...Não me espere porque eu não volto logo..." O tempo um dia irá entender, o que de fato não foi ser, passarinho que preso ficou, nunca mais voou.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário